quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Abri os olhos

E quando a gente abre os olhos para o mundo
Vê tanta coisa que não sabia, que fingia não perceber
Porque nascemos com "tapas", direcionando o nosso olhar somente para uma verdade, que depois  descobrimos com muita curiosidade, violência e dor, que ela não é mais absoluta. E até parece que nunca vivemos naquele mundo, depois que vêmos como o outro lado da moeda é bom e que podemos lutar e que podemos gritar, por uma vida melhor, por vidas melhores.
Meus filhos serão diferentes. Vão experimentar o que quiserem, coisas, formas, cheiros, sabores. Quero uma vida livre, sem preconceitos definindo o que é bom e ruim. Eles irão descobrir sozinhos lógico com a sabedoria dos mais velhos, mas quero que eles metam o pé na terra e sintam sua textura e percebam como é bom, identificar as coisas por si só e não com tradições, conceitos prontos.
E neste momento da vida quero isso pra mim também. Prometo ser livre para fazer o que quiser e assumirei os atos que serão somente beníguinos. Estou impondo uma decisão em minha vida que benificiará muitas outras, que salvará muitas. Eu sei que vai ser difícil, já está sendo, mas nenhuma mudança é facíl,ainda mais quando se fala em outros seres vivos.
Mas estou firme, nunca estive tão convicta de uma decisão. E ao mesmo tempo que escrevo, só penso neles. E os amo profundamente.

abri os olhos

Nenhum comentário:

Postar um comentário