domingo, 22 de fevereiro de 2009

Mal Secreto

Inacreditavelmente, ainda sinto ciúmes, quando vejo ele com outras, mesmo sabendo que ele não é disso, nem daquilo.
Estou muito confusa, meus sentimentos se misturam em relação aos sexos e ao sexo, sinto que estou ficando para traz em contradição dos dizeres das pessoas...me acham madura demais, vivida demais...mal sabem quando estou bem e me acham senhora. Não sei, sinto, preto ,branco e vermelho .Eu sou o vermelho, sempre fui, nasci assim, o resto ....talvez ele, talvez nós, talvez nada
O passado é sujeira, sujeira que limpamos hoje...e sempre
Me levou para lugares desconhecidos, maquiavélicos, excitantes, negros
Poderia ter conhecido de outro modo, em outra moda, época.Daí sim , acho que tudo estaria bem, nada...bem.
Esperto, calculista, experimentou cada ponto de desejo meu, executou a ilusão e me matou e se matou....porque não vive mais, agora sobrevive, com os restos mortais de outros(a).Era e é tudo assim, superficial, raso, estético, nada entra, nada sai....é sempre a mesma coisa....ainda não entendo como o tédio não o domina.
A cumplicidade é perigosa
A inocência também
Quando somos inocente vemos o mundo com olhos de Deus
Pois meu olhar agora é de pecadora!
Não suporto ser criança, mas ainda sou. Sou inocente, juro,não cometi nenhum crime...a não ser o de amar demais, tudo e todos a minha volta. Sou tola, ridículo,boba, louco.
Sinto ciúmes de mim mesmo com outras e outros, não acho que converso certo com as pessoas,por isso me confundo e elas se confundem achando que eu e ele somos eu.As cores são lúcidas posso vê-las como meu corpo se exprime e seus pêlos se retorcem e me fazem os sons dos tamancos altos, sem proteção, sem corrimão .Como posso usá-los? Como posso cair? De peito? De mão? De cara? De cabeça na luz fosca que sempre me iluminou todos os domingos
Saí seu, saí seu, saí seu..sei não
Ficarei penetrada nele e ele em mim

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Virgem Maria

E me acorda
E me pega
E me abraça
E me toma
E me abre
E em coloca
E me enterra
E me rasga
E me fere
E me sangra
E me cola
E me prende
E me força
E me quer
E eu quero
E me prova
E me beija
E me lambe
E me morde
E me fala
E me diz
E me sussurra
E me bebe
E me mexe
e remexe
E me torna a mexer
E me obedece
E me cheira
E me sente
E me toca
E retoca
E me torna a tocar
E me vícia
E me aperta
E me arranha
E me rabisca
E me alfineta
E me espeta
E me sulga
E me segue
E me afeta
E me enche
E me transborda
E me estoura
E eu gozo
E me retorço
E me esforço
E me espera
E me olha
E me entende
E me sorri
E me volta o ar
E me tira
E me desprende
E me deixa
E me vira
E me deita
E me cobre
E me laça o corpo
E me alisa
E me canta
E me adora
E me ama