sábado, 27 de junho de 2009

Essa coisa toda de apertos, mãos, olhares, bocas me assusta um pouco, nunca foi assim. Essa incrível afinidade e intimidade que não sei de onde veio e não sei a onde vai parar, mas por isso me sinto mais mulher, mais feroz, mais viva.