segunda-feira, 4 de abril de 2011



Hoje eu estou boa...ontem não, uma forma de solidão, angústia e preguiça se sucumbiu em mim de tal maneira, que não queria mais andar.
Só de lembrar de sua respiração perto de mim, eu me agarro por inteira e fico como concha, esperando você se encaixar em mim, me aquecendo e eu te sentindo, seu braço pesado em volta do meu, suas pernas por entre as minhas...e todo esse amor incondicional que eu sinto por você e todo esse carinho que me deixa cada vez mais só e também bruta, digamos mais forte, porque para aguentar você fora de mim e todas essas mudanças em minha vida sem você, só mesmo sendo uma super-mulher. Estou triste porque tenho um amor que por parte não é meu, e isso me deixa completamente sem razão para nada, sem satisfações, sem objetivos, sem sorriso, sem muita coisa...amor!
É como se fosse mar, eu mergulho e você me olha e fica olhando , te encanto...por tesão, por amor, por tanta coisa que nem sei mais. Acho que nunca chorei tanto como agora, sem meu mar pra mergulhar e me sentir completamente dentro e me sentir completa. Por mais que isso seja...é amor demais!
Sinto falta de suas mãos.


Luisiana

2 comentários:

  1. Mãos...que falta sempre faz!O ápice do toque é a sensação...uoull...belo texto

    ResponderExcluir