segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Luiziana


Flor mesclada de amor e rancor.Quero sentir de novo o seu gosto no meu cigarro.Pra quê beber?!!É só chorar;Pra quê chorar?!!.Deixa eu só matar a minha fome do seu corpo jovem.O meu prazer vem da sua carne mastigando a minha bem devagar ,no rítmo da música. O nojo vem com o tempo, mas a necessidade do material é maior.Estuprada.Comida.Fudida.Acho que minha pele está perdendo a cor, as linhas estão aparecendo cada vez mais em todos os cantos.Eles me deixaram sozinha.Aqui.Nessa sala escura.Mas estou satisfeita com meus retratros de antepassados na parede, meus tapetes persa.Meu cabelo perdeu o brilho de tantos puxões.Não consigo mais fechar as pernas, elas estão condicionadas.Não consigo levantar para colocar um sapato , o assoalho está tão gelado.Meu vermelho acabou.

2 comentários:

  1. Mari.. que lindo!

    *___*

    Isso foi perfeito.. não sei nem o que comentar, entao..
    Parabéns!eu adorei..
    è incrivel, vc conseguiu descrever a Luiziana de um jeito, sei lá.. incrivel!amei!

    ResponderExcluir
  2. Merde...
    Porque nao escuta um leve som de sax?
    Porque nao abre a janela?
    Porque nao sente o calor do sol te tocando?
    Porque nao feche os olhos e olha o seu EU interior?
    Porque nao ama ..e deixa ser amada?
    NÃO?
    O que resta então é deitar para dormir eternamente....

    ResponderExcluir