segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Estranhamento


Se, no final, a porra é sujeira,de que valeu o prazer?
Todo fim, cara no espelho,
e o diálogo consigo mesma:
“-Estúpida!

”Porque eu me faço demente e aceito o sonho como único universo a que pertenço.
Mas não sei andar em nuvens.
Se, no final, a euforia é o vício,de que vale a droga?
Todo fim, corpo em pedaços,
e na reconstrução para o amor:
“-Seu cabaço!”

Um comentário:

  1. Compreensível...
    Poucas palavras q dizem tudo ..
    Respostas para muitas perguntas..
    Nos faz refletir..
    e nesta reflexão eu cresço..nao de tamanho é claro..mais meu pensamento..
    agora vc entende?

    ResponderExcluir